Pergunte ao Siddhartha

Swamiji, é muito difícil meditar!
Quando sento em meditação têm dias que alcanço um estado de graça tão grande que sinto o meu corpo flutuando no céu.
Em outros dias, sinto-me no inferno. Com isso, fico frustrada. O que fazer?

Resposta do Siddhartha

O enfoque da prática da meditação não é alcançar nem o paraíso nem o inferno, mas celebrar a neutralidade do aqui e agora.
Se sentar buscando um estado de graça, pode viajar em um dos milhões de pensamentos e alcançar aquilo que define de “paz” ou, dependendo da atividade mental naquele momento, poderá encontrar-se no abismo do inferno.

Nenhum destes estados é verdadeiro.

Os pensamentos em si são paraíso e inferno. Meditação não é nem um nem outro.

Hoje em dia, a vida é tão caótica e a presença de pensamentos, cada vez mais intensos, que para um meditador, no começo de sua caminhada, é uma cruzada distinguir o que é real do que não é!

Por isso, criei técnicas ativas para os nossos tempos. Elas são repletas de movimentos e auxiliam a cansar a mente e o corpo para permanecerem sentados, apenas por quinze minutos.

Com a prática diária, a técnica escolhida irá penetrar no corpo, mente e espírito impregnando-os, até que a sua natureza possa voltar a governar.

Entenda que, desde a recriação do ego nessa existência, a mente tornou-se soberana absoluta do reino de seu existir aqui. Portanto, quando se dedicar à prática de uma técnica, a mente lutará com todas as suas forças para não perder o controle. Interferirá na sua prática, na sua técnica…

Por isso vos digo: Não desistam!

Querida, toda frustração é um estado mental. Você criou uma expectativa, uma idéia e isto não acontece como esperado. Portanto, sente-se incomodada, frustrada, fica com raiva.
É uma luta contínua. Onde há mente não há paz, mas guerra e preparação para outras guerras. O que fazer?

Experimente uma de minhas técnicas diariamente. Não busque a paz… Apenas seja total. Poderá ter dias mais calmos outros mais agitados, mas isso também é natural.
Viveu a vida toda nessa loucura, não há como acabar com isso em uma hora. Depois de algum tempo, verá que terá muito mais tranquilidade.

Discursos em Palolem, Índia – 2013

Meditação – O Caminho do Despertar

Veja outras perguntas feitas ao Siddartha